logo 128

feliz natal
Misericordiae Vultus
juce

Sufrágio pela alma de Pe. Marco Ceroni

Saúdo carinhosamente o excelentíssimo Senhor Dr. Mário Sato, Vice prefeito, amigo e médico pessoal de Pe. Marco nos anos que esteve em Assai. Com o mesmo carinho saúdo as Ilustríssimas Senhoras Olga Massae Furukawa Tanno, nossa fiel e hoje aqui Secretária Municipal de Assistência Social; a Ilustríssima Senhora Aparecida Maria Silva de Lima, também nossa fiel e Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e o Ilustríssimo Senhor Claudio Roberto Prudêncio, Secretário Municipal de Saúde. Mas com muito carinho saúdo a todos vocês que acolheram nosso convite para participar desta excepcional celebração em sufrágio da alma de Pe. Marco Ceroni. Muitos de nós trabalhou com Pe. Marco, como o Nico, na economia, o Tsuyoshi, a Fátima, e tantos outros.
 
Crentes na ressurreição da carne e na vida eterna nos encontramos nesta Igreja Matriz para celebrarmos em sufrágio da Alma do nosso saudoso Padre Marco Ceroni, cuja história marcou também a vida desta comunidade paroquial.
A paróquia São José celebra suas bodas de vinho: 70 anos de criação. Ao longo desta história fomos muito agraciados por pessoas, homens de Deus, que nos pastorearam. De 1944 a 1953 tivemos os padres capuchinhos, tendo sido nosso primeiro pároco Frei Epifanio Cechim, falecido em Matão - SP, no ano de 1985. Tivemos em seguida, por aproximadamente 28 anos, a presença dos padres do Verbo Divino, destacando-se o Pe. Francisco Volkers, Pe. Zdzislaw,  dentre outros. De 1981 a 1986 fomos pastoreados pelos padres diocesanos, como Padre Orisvaldo José Calandro e Padre Amauri Trombini. Em 26 de janeiro de 1986 a Congregação da Sagrada Família de Bérgamo, por meio de convenção acordada com a Diocese de Cornélio Procópio através de Pe. Italo Fani, falecido em Julho de 2013, assume o pastoreio da Paróquia São José. Em celebração eucarística daquele dia 26 de janeiro de 1986, Pe. Marco Ceroni toma posse como primeiro pároco da Congregação da Sagrada Família na Paróquia São José.
A celebração de hoje, portanto, não é uma celebração de tristeza, mas de louvor e agradecimento ao Senhor por nunca nos desamparar na caminhada. Pe. Marcos foi o precursor de uma história linda que hoje testemunhamos pela presença dos Religiosos da Sagrada Família de Bérgamo em nossa Comunidade.
Nascido em 21 de janeiro em Oltre il Colle, na província de Bergamo, Itália, Pe. Marcos ingressou ainda criança na Congregação da Sagrada Família em Martinengo, Itália. Junto com seu irmão Pietro, também Religioso da Sagrada Família, começou a caminhada rumo a consagração religiosa. Professou os primeiros votos em  4 de julho de 1965 e foi ordenado em 27 de maio de 1975.
Depois de alguns anos de apostolado na Itália em 30 de novembro de 1974 coroa o seu sonho: ser missionário.
Numa época de muita pobreza e precariedade Pe. Marco se entrega de corpo e alma ao seu apostolado carismático na grande São Paulo. Antes como vigário em Itapevi (1974-75; 1981-82), depois como pároco em Carapicuíba (1975-1980). No ano 1982 é enviado como pároco no interior de São Paulo, na paróquia de Flórida Paulista - SP. Aqui permanece até o ano 1986 quando é transferido no Paraná, na recém constituída comunidade da Sagrada Família, na paróquia de Assai - PR. Atua nesta cidade até 1993 quando assume, por cinco anos, a responsabilidade da comunidade e da paróquia São João Batista em Peabiru - PR.
Em 19 de fevereiro de 1998 é enviado na cidade de Montes Claros para trabalhar com a tríplice finalidade de acompanhar carismaticamente as Irmãs da Sagrada Família de Montes Claros que se inspiraram no carisma e na espiritualidade da Santa Paula Elisabete Cerioli; de preparar as condições para a fundação de uma nova paróquia dedicada a “Sagrada Família” situada em uma das maiores e mais pobres favelas da cidade e de ativar uma série de intervenções em favor dos menores.
Com a fundação da paróquia Sagrada Família coroa os seus esforços pastorais. Dedica tudo o que tem para os paroquianos, organizando as pastorais, os movimentos e os grupos. Ajuda as comunidades urbanas e rurais.
A saúde de Pe. Marco já não estava tão boa. Em 29 de junho se despede da Paróquia Sagrada Família, por ele fundada. Mais tarde foi à Itália de férias, onde veio a falecer, vítima de um infarto.
Nesta celebração somos convidado a renovar nossa fé na ressurreição, na vida eterna. Fazemos memória da vida de Pe. Marcos, não nos esquecendo de que todo o nosso tesouro pastoral é fruto de sua organização. Eu mesmo participei com Pe. Marco das organizações das formações pastorais, juntamente com a Irmã Lucila. Muitos de nós que estamos aqui convivemos com Pe. Marco e podemos testemunhar seu grande amor pelas crianças (foi incentivador da Pastoral da Criança) e com os movimentos familiares (enquanto esteve aqui fez um curso de especialização em Família na Colômbia).
Nós louvamos e bendizemos a Deus pela vida consagrada e sacerdotal de Pe. Marco. Muitos de nossos filhos entraram na vida cristã pelas mãos de Pe. Marcos, pelo batismo; muitos de nós fomos reconciliados a Deus pela mãos do Pe. Marcos no sacramento da Reconciliação. Muitos fomos alimentados pela Eucaristia consagrada pelas mãos sacerdotais de Pe. Marco.
A liturgia da palavra desta celebração nos anima na caminhada: "A vida dos justos está nas mãos de Deus". Somo justos porque já fomos justificados pelo Senhor com sua morte de cruz. Da mesma forma o evangelho narrado por João nos lembra que Jesus não quer perder nenhum dos seus filhos ao dizer que a "vontade daquele que me enviou é que eu não perca nenhum daqueles que o Pai me enviou". Louvemos e bendizemos ao Senhor por tudo de bom que nos tem feito.
Pe. Wagner Zacarias Rufino
Pároco